Mesmo em frente à Igreja da Misericórdia encontra-se a Catedral de Viseu, do século XII e alvo de várias intervenções ao longo dos séculos.

A fachada maneirista veio substituir a manuelina, que ruiu em 1635, e o interior conta com uma abóbada manuelina e um claustro renascentista. As grandes torres dão-lhe um aspeto de igreja fortificada e fazem desta Catedral um marco fundamental da paisagem de Viseu, mesmo que vista à distância. A aula de História da Arte continua, com um coro alto e cadeiral que o embeleza, ambos do século XVI, e uma capela-mor do século XVII. Apenas no século XVIII foram acrescentados o claustro superior e a famosa – e muito bonita – Varanda dos Cónegos. É possível, como se vê, conhecer várias épocas arquitetónicas num só espaço, tão imponente quanto belo. É no interior da Catedral de Santa Maria, como também é conhecida a Catedral de Viseu, que encontramos um espaço museológico que retrata de forma exímia as tradições centenárias deste templo. Construído em 1942, este Museu Tesouro guarda peças de Arte Sacra e alfaias religiosas de elevado valor. Além das salas de exposição, existem espaços que são, também, autênticos miradouros sobre a cidade.

  • Entrada Paga - Museu (2,00€)
  • Acesso Aberto ao público (de segunda-feira a domingo; de segunda a sábado: 9h00-13h00 | 14h00-18h00; domingo: 09h30-12h00 | 14h00-19h00)
  • Condições de acesso - Via pavimentada
  • Estado de conservação - Excelente
  • Classificação - MN - Monumento Nacional
  • Integra Roteiros/Rotas - Rota das Catedrais (Nacional)